Governo dos Açores quer que o artesanato seja uma atividade económica cada vez mais relevante | AzoresTV by VITEC - canal regional com produções dos Açores, vídeos HD e diretos dos melhores eventos da região.

O prazo para apresentação de candidaturas ao Sistema de Incentivos ao Desenvolvimento do Artesanato dos Açores (SIDART) para o ano de 2016 decorre entre 15 de fevereiro e 31 de março.

artesanato, regional, actividade, económica, açores

Governo dos Açores quer que o artesanato seja uma atividade económica cada vez mais relevante

Publicado por: Vitec
2016/01/29 21:02:53

O prazo para apresentação de candidaturas ao Sistema de Incentivos ao Desenvolvimento do Artesanato dos Açores (SIDART) para o ano de 2016 decorre entre 15 de fevereiro e 31 de março, determina um despacho do vice-presidente do Governo, publicado em Jornal Oficial.

 

Este despacho estabelece o montante de 200 mil euros como dotação orçamental global para os projetos a aprovar, em áreas que vão desde a formação até à inovação do produto artesanal.

As candidaturas serão efetuadas, pelo segundo ano consecutivo, exclusivamente online, no sítio do Centro Regional de Apoio ao Artesanato (CRAA), no endereço eletrónico www.artesanato.azores.gov.pt.

 

“O Sistema de Incentivos ao Desenvolvimento do Artesanato dos Açores foi criado com o objetivo de promover o desenvolvimento sustentável da atividade artesanal no âmbito da economia regional, através de um conjunto de medidas que o articulam”, frisou Sérgio Ávila.

Para o vice-presidente, “reforçar a qualidade da produção e da competitividade das empresas artesanais dos Açores, ao mesmo tempo que se atende às alterações estruturais decorrentes da criação do Estatuto de Artesão e da Unidade Produtiva Artesanal, são outros objetivos que o Governo dos Açores pretende alcançar com este sistema criado no âmbito da Agenda Açoriana para a Criação de Emprego e Competitividade Empresarial”.

 

Sérgio Ávila salientou que o artesanato tem sido, ao longo dos últimos anos, uma área em que o Executivo tem “reforçado os apoios disponíveis, no sentido de criar melhores condições à inovação na produção artesanal e à qualificação e modernidade das unidades produtivas”.

 

O objetivo, frisou, é o de o artesanato se constituir, cada vez mais, “numa atividade económica relevante, criadora de emprego e de riqueza na Região”.

O Governo Regional, ao abrigo do SIDART, apoiou no ano passado, com mais de 169 mil euros, 118 projetos de unidades produtivas artesanais das mais diversas áreas, que representaram um investimento global de 304 mil euros.

 

Imagens de notícias

Tags:

Partilhar

Powered by WebTV Solutions