Peregrinação diocesana leva açorianos à Terra Santa | AzoresTV by VITEC - canal regional com produções dos Açores, vídeos HD e diretos dos melhores eventos da região.

Jornada de oração é presidida pelo Bispo Coadjutor D. João Lavrador de 15 a 22 de novembro.

peregrinação, diocese, angra, terra, santa

Peregrinação diocesana leva açorianos à Terra Santa

Publicado por: Vitec
2016/02/13 02:23:45

A Diocese de Angra vai realizar este ano, de 15 a 22 de novembro, uma peregrinação diocesana à Terra Santa, presidida pelo Bispo Coadjutor de Angra, D. João Lavrador e acompanhada pelo Pe. Jacinto Bento.

O sacerdote, pároco de São Pedro de Angra e Diretor do Serviço Diocesano da Mobilidade Humana, é guia acreditado na Terra Santa, junto do Patriarcado Latino, e tem conduzido centenas de peregrinos, sobretudo portugueses, nesta zona do Patriarcado Latino de Jerusalém.

A viagem, com partida de Lisboa para Frankfurt e daqui para Telavive, em Israel, inclui paragens em Jaffa, Cesareia Marítima, Monte Carmelo, Cana da Galileia, Tiberiades, Monte Tabor, Mar da Galileia, Cafarnau, Tabgha, Monte das Bem Aventuranças, Nazaré, Jericó, Qumran, Jerusalém, Belém e Ein Karem.

As visitas serão repartidas por dias em função da proximidade e do número de lugares a visitar. No segundo dia e depois da instalação, há uma visita ao Bairro dos Artistas, à Casa de Simão, o Curtidor, lugar onde Pedro recebeu a mensagem divina de evangelizar os pagãos e a Igreja de São Pedro. Depois a peregrinação segue para Cesareia Marítima, um dos locais mais antigos de Israel. Foi um importante porto fenício e recebeu o nome em homenagem do imperador César Augusto, quando Herodes recebeu esta terra para edificar a cidade. Continua para o Monte Carmelo onde, segundo o Antigo Testamento, se refugiou o profeta Elias no século IX a.C. Aqui visitarão o Convento Carmelita de Stella Maris e será celebrada uma Eucaristia.

Em seguida visita a Haifa, a terceira cidade de Israel. Povoada por judeus, muçulmanos, drusos, cristãos e da fé Baha’i, todos eles convivem em paz. Segue-se uma jornada até Caná da Galileia, onde Jesus realizou o Seu primeiro milagre.

O terceiro dia da viagem começa com uma subida ao Monte Tabor, que a 590 m sobre o nível do mar emerge majestosamente de forma arredondada. A Basílica da Transfiguração recorda o evento milagroso citado no Velho Testamento, com uma cripta que conserva elementos arquitetónicos e detalhes pertencentes entre a idade bizantina e o período das cruzadas. Aqui será celebrada uma eucaristia. Segue-se uma passagem por Magdala –Igreja Duc in Altun e uma pequena viagem de barco, no mar da Galileia até Cafarnaum, conhecida como “cidade de Jesus”, a partir da qual desenvolvia as atividades na Galileia. Aí está programada uma visita à Sinagoga, aquela que parece ter sido a casa de São Pedro, com os restos de uma igreja do séc. V e o memorial de São Pedro que tem a finalidade de proteger as ruínas veneradas. Segue-se de novo a celebração de uma Eucaristia. A visita da Tabgha, onde Jesus conheceu os primeiros apóstolos é a paragem seguinte com uma visita ao Santuário da Multiplicação dos Peixes e dos Pães e à Igreja do Primado Pedro onde se encontra uma rocha chamada “Mensa Christi”, que recorda o relato da aparição de Jesus ressuscitado.

A peregrinação continuará pelo Monte das Bem-Aventuranças, situado num contexto de notável valor paisagístico e ambiental, onde será visitada a Igreja com a mesma denominação e cujas oito janelas recordam o início do texto de cada uma das Bem-Aventuranças proclamadas por Jesus durante o sermão da montanha.

No quarto dia da peregrinação, os peregrinos partirão para Nazaré para visitar a Basílica da Anunciação, com celebração de Eucaristia. A visita prossegue por Almaguedon e Jordão até à cidade bíblica de Jericó, um dos lugares habitados mais antigo do mundo e de onde se avista o Monte das Tentações e o Sicómero de Zaqueu.

 

Após Jericó, haverá uma paragem a Qaser El Yahud, o local do Batismo de Jesus e de seguida a peregrinação partirá para Qumran, local ligado à descoberta dos Manuscritos do Mar Morto. Trata-se de um local a 392 metros abaixo do nível do mar e é o ponto mais baixo de toda a superfície do planeta. De seguida partem para Jerusalém, onde chegarão ao fim do dia.

No quinto dia da peregrinação, a primeira paragem será no Monte das Oliveiras, de onde Jesus terá saído para a Sua entrada triunfal na Cidade Santa. A visita começa com uma entrada na igreja da Ascensão, depois Igreja do Pai Nosso (onde Jesus ensinou aos seus discípulos a orar), continua-se pela capela franciscana Dominus Fle-vit (“O Senhor chorou”) e visita da Igreja do Tumulo de Nossa Senhora. Em seguida visita à Gruta e Horto de Getsêmani e, logo depois, visita à Basílica da Agonia, construída em 1924 no sítio onde, segundo a tradição, se encontrava o Jardim do Getsêmani. De referir que neste lugar se encontra uma parte da rocha identificada como o lugar onde Jesus orou sozinho no Jardim, na noite em que foi aprisionado. Atravessando o Vale de Josafat, a peregrinação chegará ao Monte Sião. O edifício identificado como o Cenáculo foi construído pelos franciscanos no século XIV, em recordação à Última Ceia. A sala situada no andar térreo, sob o Cenáculo, contém um cenotáfio que desde o século XII é conhecido como “o Túmulo de David”. A Basílica da Dormição, encontra-se no lugar onde Nossa Senhora teria adormecido em sono eterno. Nesta basílica será celebrada a Eucaristia seguida de uma visita à cidade antiga.

Esta parte da visita como com uma paragem na Igreja de S. Pedro in Galicantum e, depois, no Muro das Lamentações.

No sexto dia, a peregrinação tem como destino Belém onde será visitada a Basílica da Natividade construída pelo Imperador Justiniano (527-565), sobre o sítio da basílica anterior (do século IV), erguida por Constantino, que havia sido muito danificada em 529 durante a revolta dos samaritanos. A Basílica é dedicada à Sagrada Mãe de Deus (Theotokos) e aí será celebrada a Eucaristia, seguida de uma visita ao Campo dos Pastores. Depois haverá uma visita à cidade moderna de Jerusalém, com paragem no Santuário do Livro e no Museu de Israel, onde se exibem os manuscritos encontrados no Mar Morto e a Maqueta de Jerusalém Antiga, antes da destruição do Segundo Templo dos anos 70. Visita panorâmica ao novo edifício do Knesset (parlamento)

No sétimo dia da visita, em Jerusalém, partida em direção à Porta dos Leões para uma paragem na Igreja de Santa Ana. A peregrinação segue através da Via-sacra até ao Calvário e Santo Sepulcro, onde será celebrada a Eucaristia. Segue-se uma audiência ao Patriarcado Latino de Jerusalém.

Antes da partida, de manhã ainda haverá tempo para visitar em Ein Karem as Igrejas de São João Baptista e da Visitação e a Gruta Benedictus.

As inscrições devem ser feitas junto da Cúria Diocesana, em Angra, por telefone ou email até dia 12 de julho, através do endereço electrónico diocesedeangra@gmail.com ou do telefone 295 216670. 

 

Texto/ Igreja Açores/ VITEC

Foto/ Igreja Açores 

Imagens de notícias

Tags:

Partilhar

Powered by WebTV Solutions