Governos da Região e da República vão alargar os mecanismos de cooperação ao nível da incubação de empresas | AzoresTV by VITEC - canal regional com produções dos Açores, vídeos HD e diretos dos melhores eventos da região.

O propósito passa por criar sinergias, obter mais vantagens competitivas e aumentar o potencial de captação de investimento.

governos, açores, república, cooperação, incubadoras, empresas

Governos da Região e da República vão alargar os mecanismos de cooperação ao nível da incubação de empresas

Publicado por: Vitec
2016/12/03 10:55:48

 

Os executivos da Região e da República vão alargar e reforçar os mecanismos de cooperação ao nível da incubação de empresas, turismo e património, com o propósito de criar sinergias, obter mais vantagens competitivas e aumentar o potencial de captação de investimento, revelou o vice-presidente do Governo Regional.

 

Foi uma “oportunidade para lançarmos mecanismos de cooperação para o futuro”, afirmou Sérgio Ávila, que falava em Angra do Heroísmo, no final de uma reunião com o Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral.

 

Nesse sentido, o vice-presidente destacou três aspectos considerados “essenciais”, sendo o primeiro a integração da Rede Regional de Incubadoras de Empresas numa rede nacional, “de forma a criar um conjunto de sinergias e de apoios complementares que façam desenvolver a captação de novas empresas” e para que estas tenham “as possibilidades de afirmação e de contacto que têm as empresas no restante território nacional”.

 

Este propósito está, essencialmente, direccionado para o surgimento de empresas na área tecnológica – seja em tecnologia de base, tecnologia especializada na área agro-alimentar ou em ciências do mar - que a Região está incentivar no âmbito dos três Parques Tecnológicos que estão a ser desenvolvidos no arquipélago.

 

“O segundo aspecto essencial é a definição de mecanismos de cooperação no âmbito turístico, de promoção turística, integrando os Açores no esforço de promoção que é feito além-fronteiras pelo país”, sublinhou Sérgio Ávila.

 

O terceiro aspecto, anunciou, “é a possibilidade de o Património do Estado na Região poder também vir a ser integrado num programa nacional que está a ser desenvolvido, o Programa Revive”, permitindo que seja “potenciado através da captação de investimentos privados” e “geração de riqueza”.

 

O Revive é uma iniciativa conjunta dos ministérios da Economia, da Cultura e das Finanças que abre o património não utilizado ao investimento privado, por concursos públicos, para desenvolvimento de projectos turísticos.

 

Tem em vista a recuperação e valorização do património histórico, e a sua transformação num activo económico.

Sérgio Ávila realçou ainda o cumprimento dos diversos compromissos assumidos em declaração conjunta pelos dois governos nos Açores, a 30 de abril, designadamente o início da operação aérea de baixo custo para a Terceira ou os termos de execução do PREIT.

 

No final do encontro, o vice-presidente do Governo acompanhou o Ministro da Economia numa visita à ‘Natural Reason’, uma empresa exportadora regional que produz e comercializa soluções energéticas inovadoras baseadas em energias renováveis e ambientalmente sustentáveis, como 'pallets' de biomassa.

 

Foto/ Gacs 

Imagens de notícias

Tags:

Partilhar

Powered by WebTV Solutions