QUESTIONÁRIO Emanuel Areias: "Respeito o esforço e a dedicação ao país de Pedro Passos Coelho" | AzoresTV by VITEC - canal regional com produções dos Açores, vídeos HD e diretos dos melhores eventos da região.

Para Emanuel Areias, observar não chega. Mas já é um grande começo. Não só para o dia-a-dia mas também para escrever crónicas, o que é quase a mesma coisa.

questionario, emanuel, areias, historia, cronicas, filosofia, politica, açores

QUESTIONÁRIO Emanuel Areias: "Respeito o esforço e a dedicação ao país de Pedro Passos Coelho"

Publicado por: Vitec
2017/10/07 23:41:34
Foto/ Direitos Reservados
Foto/ Direitos Reservados

Para Emanuel Areias, observar não chega. Mas já é um grande começo. Não só para o dia-a-dia mas também para escrever crónicas, o que é quase a mesma coisa. A mesma coisa não será para um jovem estudante ilhéu, nascido nos Açores, que se mudou da Vila Nova, na ilha Terceira, para Lisboa com o objectivo de estudar História no ISCTE – IUL. Ou seja, comporta outros desafios, incluindo os regressos à terra natal.

É autor de dois livros: “Observar não chega” e “Crónicas de um estudante ilhéu”, ambos com chancela Chiado Editora.

 

Aristóteles ou Platão?

“O sábio nunca diz tudo o que pensa, mas pensa sempre em tudo o que diz.” Aristóteles.

 

Como revisitar a pólis nos dias de hoje?

Não é revisitável. O homem deixou de ser político, para ser só animal.

 

Crescer é também uma viagem?

Crescer é uma viagem eterna, mas há quem prefira ficar sempre em terra.

 

Se uma crónica pudesse ser escrita a quatro mãos, de quem seriam as outras duas?

Talvez as mãos de Vitorino Nemésio, de modo a juntarmos num só livro, a descrição do que é ser ilhéu. 

 

Como escrever sobre os Açores, a nossa própria casa?

É mais fácil escrever sobre os Açores fora de casa. Temos outra capacidade de análise e contemplação. Além de que nos sentimos mais açorianos, quando estamos ausentes. Só é difícil porque devemos respeito à nossa História e aos nossos antepassados.

 

Há livros do dia e livros da noite?

Sim. Um livro que seja narrativa de viagem é para ser lido de dia. Como o livro “Açores – o Segredo das ilhas” de João de Melo. É preciso luz para vermos a cor e a paisagem. Os livros da noite são sobretudo os da universidade.

 

Ler jornais físicos ou virtuais?

Físicos. Mas o Observador só pode ser lido virtualmente.

 

Uma referência política em Portugal?

Respeito o esforço e a dedicação ao país de Pedro Passos Coelho.

 

E além-fronteiras?

No passado, Abraham Lincoln e Winston Churchill. Hoje em dia, não há referências dignas.

 

Verdelho dos Biscoitos ou Dr. Pepper?

Água.

 

Aroma a bolo quente consegue ser mais intenso num domingo à tarde?

Consegue. Então com um chá a acompanhar é uma maravilha.

 

Domingo do Bodo ou Noite de Cantoria?

Noite de Cantoria. Não fosse eu um amante dessa tradição popular.

 

Recuar no tempo até que ano?

1969. Para ir à Lua no Apollo 11.

 

E tomar um café na companhia de quem?

Do Rui Vitória, treinador do SLB. 

 

Foto/ Direitos Reservados 

Imagens de notícias

Categorias:
Tags:

Partilhar

Powered by WebTV Solutions