Na ilha Terceira PEREGRINAÇÃO RUMO À SERRETA EM HONRA DE NOSSA SENHORA DOS MILAGRES | VITEC AzoresTV.com - canal regional com produções dos Açores, vídeos HD e diretos dos melhores eventos da região.

A semana que antecede o segundo domingo de setembro, na ilha Terceira, é marcada pelas numerosas romarias, organizadas em grupo ou individualmente, até ao Santuário de Nossa Senhora dos Milagres, na freguesia da Serreta, concelho de Angra do Heroísmo.

serreta, peregrinos, milagres, angra, festa

Na ilha Terceira PEREGRINAÇÃO RUMO À SERRETA EM HONRA DE NOSSA SENHORA DOS MILAGRES

Publicado por: Vitec
2014/09/11 23:47:48
Igreja da Serreta
Igreja da Serreta

A semana que antecede o segundo domingo de setembro, na ilha Terceira, é marcada pelas numerosas romarias, organizadas em grupo ou individualmente, até ao Santuário de Nossa Senhora dos Milagres, na freguesia da Serreta, concelho de Angra do Heroísmo.
Este ano o mau tempo “pode condicionar” as peregrinações- “nunca vi a Serreta tão molhada”-, mas “o movimento começa a fazer-se sentir” disse o reitor do Santuário, Pe. Manuel Carlos que está a orientar o novenário preparatório das grandes solenidades desde sexta-feira, dia 6 de setembro, o qual acontece no domingo, dia 14, com a celebração da Missa, seguida da procissão com a imagem de Nossa Senhora dos Milagres, que este ano serão presididas pelo Reitor do Seminário Episcopal de Angra (SEA), Pe. Hélder Miranda Alexandre.
“Quisemos recordar o pedido que o Bispo de Angra fez aquando da elevação desta igreja a Santuário, justamente no dia da oração pelas vocações, dia da mãe, em 2006. É uma forma de, também, darmos graças pelas vocações e lembrar que é preciso estimulá-las sempre através das nossas orações”, sublinhou o sacerdote que há dez anos lidera esta comunidade paroquial.
Aliás, a Diocese criou o Santuário dois anos depois da sua chegada à Serreta.
“Quando aqui cheguei ouvi dizer que o Senhor Bispo tinha afirmado que só sabendo ao certo a dimensão desta festa é que se poderia equacionar a possibilidade da criação de um santuário. No ano seguinte pedi a colaboração dos escuteiros e procedemos à contagem dos peregrinos entre sexta-feira e domingo de madrugada. Eram perto de seis mil, 4 mil deles tinham chegado aqui a pé. No ano seguinte a igreja foi elevada a Santuário, julgo que de uma forma justa”, remata o sacerdote lembrando que esta festa “traduz a alma terceirense”.


A história do culto remonta às guerras napoleónicas, altura em que autoridades militares e civis pediram a interseção da Senhora dos Milagres para que poupasse a Terceira à guerra, prometendo honrar este voto todos os anos, no segundo domingo do mês de setembro, tempo de colheitas e de vinho novo.
O cumprimento do voto ficou a cargo da Irmandade de Nossa Senhora da Serreta e todos os anos é honrado com o tradicional bodo de leite, cujo padroeiro é Santo Antão, uma das três imagens que habitualmente sai à rua nestas festas. O outro é Santo António que percorre as principais artérias da Serreta, na terça-feira, a seguir às solenidades de Nossa Senhora dos Milagres.
Para além da festa religiosa criou-se também a “Segunda- feira da Serreta”, o dia de convívio em que as famílias de Angra rumavam a estas paragens para honrar o voto da irmandade.

“É uma festa muito alargada quer do ponto de vista geracional quer social onde todos convivem e celebram com base numa fé comum”, destaca o reitor do Santuário da Serreta que nesta altura monta um “posto” de acolhimento aos peregrinos que durante toda a semana da festa acorrem ao Santuário, numa viagem de ida e volta.
Grande parte dos que vêm a pé, de diferentes lugares da ilha, chegam com “muitos problemas”. A caminhada pode durar até seis ou sete horas “conforme o ritmo”, sendo que na maioria dos casos já há uma enorme mobilização de movimentos.
Por exemplo, peregrinos dos Cursilhos de Cristandade vão partir de São Carlos e da Agualva na próxima sexta-feira e animarão uma celebração eucarística, presidida pelo assistente espiritual, Pe. José Júlio Rocha, na madrugada de sábado. Também as equipas de Nossa Senhora de toda a ilha e os membros da Ordem Terceira já participaram nestas animações litúrgicas.
“A afluência é grande tal como a devoção”, lembra o Reitor sublinhando que “quando há uma situação difícil na encruzilhada da vida é a Nossa Senhora dos Milagres que os terceirenses recorrem”.
Os que aqui vivem e os que já partiram para outras paragens levando consigo o culto, mas “regressam sempre ao seu Santuário”, diz o Pe. Manuel Carlos.
Durante todo o ano, o Santuário acolhe peregrinos. Funciona a partir das oito da manhã até à hora da missa vespertina, o que acontece por volta das seis horas da tarde. Durante o Verão o horário estende-se até às oito da noite.

 

Texto/ Portal da Diocese de Angra/ Azorestv

Foto/ Photo Vieira - Elvino Vieira (arquivo)

Imagens de notícias

Tags:

Partilhar

Powered by WebTV Solutions